Seguidores

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Medo de Amar



Quisera me fazer presente
Na distância do seu olhar
Se não vens me cortejar
Deixa-me assim carente

Nem meu grito veemente
Nem minhas lágrimas a brotar
Nada, nada lhe faze ver claramente
O quanto desejo em ti estar?

Ares de um ser indolente
E quer meu coração engerelar
O que será que tem na mente
Que não lhe permite vislumbrar

O meu desejo voluptuoso
Meu corpo um eterno abrasar
Querendo seu beijo gostoso
E so a você me entregar

E como pedra, assim inerte
Recusa-se ao amor abraçar
Oh! Que alma incoerente
Renegando um doce amar

Diná Fernandes

Um comentário:

Felipe disse...

Dina, tem muita coisa boa por aqui. Vou colocar o seu link no Oceano Virtual, prá não perder nenhuma postagem. Um abraço!