Seguidores

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Frutos do pensamento

O pensamento é como pequena partícula
que se desprende de um cérebro ardente
para dar forma às palavras veladas.

É brincadeira de poeta que vive o evanescente,
e os frêmitos que lhe ocorrem transformam-se
em versos que dão formas ao poema.

O poeta fala do obscuro, do real, do amor
e do ódio, da alegria e da tristeza, da dor e do prazer
e de tudo que é fruto do seu infinito pensamento.

Diná Fernandes


O futuro é hoje



O que está prometido há de vir

E se o destino por acaso interferir

Na dúvida, do tempo, fico a sorrir


Sei também que tudo é passageiro

Levo a vida como seresteiro

Cantando para um coração bandoleiro


Tempo, meu sábio professor

Sabe que vivo por amor

Sou da hora, sou da vida um ator


O ontem por mim passou

Se de mim, algo levou

Não importa, o agora ficou!


- Por que o futuro é hoje...

Diná Fernandes

sábado, 26 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo

Desejo a todos que seguem este Blog um venturoso 2010, com muita inspiração e Amor no coração. Que estejamos outra vez trocando mensagens, interagindo nos caminhos da poesia.
Bjs meus em cada coração!




Um momento muito esperado... Chegada do Ano Novo,

Fogos estouram no ar, taças de champagne transbordam, a alegria é geral!
É nesta hora que todos esquecem por um momento
goas, e num repentino gesto de fraternidade, mão se cruzam, corpos se abraçam, fraternos beijos surgem de todos os lados, o clamor pela Paz é uníssono, é um desejo coletivo. É neste momento de reflexão que o homem lembra
as diferenças, as tristezas, fracassos e até m
á que a vida é maravilhosa. E como é gratificante agradecer a Deus a glória suprema de mais uma virada, mesmo que o ano que se vai não tenha sido mil maravilhas, comemorar com a família ou não, já é um grande prêmio.
Mas, por trás de tudo isto existe o “fugaz”.

E o ano começa, e tudo se repete, e aquele momento de reflexão já caiu no ostracismo. Que os sonhos, a esperança, o otimismo não se apaguem dos corações, que as boas ações façam a diferença na vida de todos. Que 2010 seja nos traga a esperada Paz, Amor e Saúde!

Diná Fernandes


terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Tenho sede de busca!


Mesmo que meus sonhos
sejam ofuscados e distorcidos
pelo tempo, o horizonte sempre
me leva a pensar o que encontrar
além das portas do infinito,
e me faz caminhar otimista.

Não fosse a persistência
à base da firmeza dos
meus propósitos,
meus olhos não seriam
capazes de pintar minhas telas
coloridas de esperanças.

Diná Fernandes

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Noite de Natal



Noite sagrada, nasceu o Nazareno
Noite cristã de singularidade
Na manjedoura dorme o pequeno
Deus Menino, que veio para nos salvar

Noite sagrada, de harmonia,
Envolvemos-nos na aliança
Da Fraternidade Amor e Partilha...
Momento de desprendimento!

Que possamos entender
Toda simplicidade e singeleza,
O imensurável gesto que Cristo
no maior exemplo de humanidade
nos deixou!

Diná Fernandes

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Gosto da noite II


Gosto da noite
que chega sisuda e misteriosa,
espalha seu manto negro,
abraça os montes, a terra,
e também os meus ais!
Para alguns é magia e fonte
de inspiração, para os outros,
profunda tristeza.

Gosto da noite majestosa
que não recusa quando a convido,
para ouvinte dos meus segredos.

Sempre me mostra uma saída,
quando ensaio vislumbrar
uma tela descolorida pelo
passado.

É quando escuto o som do
vento bafejando palavras
aos meus ouvidos
atentos, que logo
adormeço e sonho,
sonhos que me envolvem
num emaranhado
de visões coloridas,
para acordar no frescor
do orvalho matinal,
e um sol dourado
refazendo as energias.

Diná Fernandes

O amo que para ti guardei



Todo o amor que para ti guardei
Em tresnoitadas esperas a suspirar
Sonhando, todas as ilusões cultivei
Por que me pertence o teu amar

Perdi o jeito de sorrir e chorei
Nessa aflição a te desejar
Em momentos convulsos lamentei...
Quis ser à distância, e perto de ti estar

Mas, por nada me entreguei
Temia o tempo de perder e amar
O amor não tem hora, bem
sei
E meu coração está a te esperar

Dias e dias, dois corações e a lei
Do querer, mais forte que o cansar
Por este amor de alma me apaixonei
E nada haverá de nos separar

Diná Fernandes

domingo, 13 de dezembro de 2009

Natal


É dezembro, é Natal!
As ruas ganham novo colorido
Nos lares e nos corações
A euforia e o espírito natalino
Faz-se presente.

No olhar das crianças pode-se ver
O brilho da esperança, e Noel
É seu grande atrativo,
pois simboliza presente.
É grande a euforia infantil
Nos seus inocentes corações
.
Cada Natal é momento único
Para as crianças.
Receber o seu almejado
presente, é a sua grande recompensa.

O mundo se prepara para o esperado e
Grande dia, o aniversário do nosso “Deus Menino”.
É tempo de manifestação De FÈ, de Renascimento
De AMOR E FRATERNIDADE.

Quisera Senhor, que todas estas manifestações
Proclamadas neste dia de Natal, pudesse
estender-se por todos os dias, que o homem violento
pudesse entender que é a Paz o nosso maior bem,
que a indiferença fosse esquecida dos corações
insensíveis, e os laços de união entre as famílias e amigos
fortalecidos.
Só assim teríamos um mundo melhor e mais humano
Com amor nos corações!

Feliz Natal com a Paz e o Amor que tanto necessitamos!

Diná Fernandes

Certificado de Diná Feranndes


Minha primeira participação em Antologias!

Desafio de Mim


Busquei o que achava impossível
No vagar da vida barreiras encontrei
Nos meus sonhos tudo era inviável

Com a negatividade muito briguei
Na sede do querer o inatingível
Naveguei na coragem e apostei


Na desventura, optei pelo insensível
De corpo, alma e coração, tudo abracei
Nesse desejar pretensioso e instável


Carreguei nos ombros o incansável
Abominei a desistência e caminhei
Até conseguir atingir o desejável


O otimismo! Companheiro inseparável
Nada fácil neste mundo eu encontrei
Por vezes, lágrima na face era notável


Teci a vida com fio esgarçável
Foi um esforço imensurável
Entre os “sim” e os “nãos” aqui cheguei


Pelo muito que nessa vida passei
Não lamento, nada foi execrável
Vale o hoje desfrutando o estável

Diná Feranndes

domingo, 1 de novembro de 2009

Disfarce





O sonho acabou


Minha face está sem cor.

Vou remoer a saudade,

Vou protestar meu sofrer,

Vou engolir o meu choro.
Vou olhar o infinito.
Com os olhos da solidão
Acompanharei tua partida.
E se por acaso
Voltares...
Ainda que o coração,
Venha a perder o compasso
-usará o seu disfarce!

Diná Fernandes

Inebriada


Imaginei
Você no céu
Da minha boca,

Senti o teu sabor
Que alvoroço...
Me causou!

Busquei o teu abraço
Uma sombra
Abraçou-me!
Entrega inebriada!

Diná Fernandes

Rabiscos


Sou a imagem nua
Rabiscada em tela branca,
Sou a metade da lua
Sou assim meio bronca.

Se o sol me faz festa
O dia me dá trégua,
E se algo não presta
Disso, corro léguas.

Na vastidão do mundo
Não desejo o ostracismo
Mergulho no profundo
Sem pensar no abismo

Ignoro os pormenores
Abro as cortinas do sim,
O mundo é dos atores
A vida é um folhetim

Diná Fernandes

Ladrilho


Eu e você...

Sobre a mesa,
estava meu cristal!

Era tão penetrante
o seu olho gordo!

-estremeçeu!
e espatifou!

No chão, ladrilhos
brilhantes!

Diná Fernandes

Canção das Ondas


Nuvens de cor plúmbea nos céus
Num fim de tarde, na beira do mar
O azul das águas, da cor dos olhos teus
E os meus, por ti, vieram a ressumar

Lágrimas incontidas, como um véu
Cobria-me a face a me torturar
Minha tristeza, o mar percebeu
Suas ondas vieram me afagar

Num ímpeto, meu pranto morreu,
Ondas e mar, comigo a compartilhar
Uma suave canção das ondas, oh! Deus
Sagrado lençol abissal a me acalentar!

Diná Fernandes

domingo, 18 de outubro de 2009

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

domingo, 16 de agosto de 2009

Coração de Pedra

Ah! essa paixão sem limites

que mortifica meu ser

que me deixa a deriva,

faz-me esquecer as dores

de amores passados,

querendo ofertar-lhe

um amor implacável,

e seu indecifrável coração

mantém-se em sigilo

como que indiferente!

Apenas me olha,

o teu olhar compromete!

Lutarei pela conquista

você não é inatingível...

meu amor tem a bravura das

ondas, o calor de um vulcão,

e a suavidade da rosa.

Se em seu peito, existe uma pedra,

como um grão de areia

nele me incrustarei,

e como pérola lapidada

na tua vida hei de brilhar.

Diná Fernandes

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Manhã de Agosto


Hoje o vento está enloquecido
Gélidos ventos típicos de agosto...
Suave brisa de um toque sentido
Absorto pensamento de beijar-te o rosto

Manhã fria, você ainda adormecido
Sussurros, doces palavras, beijo-te todo
As carícias te fazem despertar enloquecido
Ternos abraços, beijos ardentes,suave gosto

Ainda que esse nosso dia fosse infindo
Pouco seria pra viver esse amor tão sentido!
Tão terno, vivido nessa manhã de agosto
Quebramos a magia, tudo se fez colorido!

Diná Fernandes

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

sábado, 8 de agosto de 2009

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Inesgotável Amor


Aninhado em meu leito
sonhando acordado
tão gêmeo e singular,
com teu jeito manhoso
de homem sedento,
cobre-me de carinhos
me acaricia de mansinho,
bebo os teus beijos
passeio no teu céu
finjo não entender
teu modo, agora,
sobranceiro...
mas é isso que eu
quero...
é ser domada
nesse instante compulsivo,
que nada mais desejo
senão, te receber
em minhas entranhas
úmidas e latejantes
ardendo...
com vontade de você!
Ah meu amado!
Só você me faz
tão plena!
Preenches cada
espaço do meu coração,
meu , por estar em meu peito,
pois, há muito já te entreguei!


Diná Fernandes

Coração Vazio




Nossos Laços

domingo, 26 de julho de 2009

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Soneto da Saudade

Madrugada fria, silêncio nas ruas

Sinto uma vibração, entro em sintonia
Com o pulsar de seu coração em agonia
É minh’ alma que sintoniza a tua

A cada amanhecer a ausência me mata
Cada minuto sem você se vai minha alegria
Assusta-me a idéia de te perder um dia
Tenho fome desse amor que me falta

Quero acordar dessa dor e viver a magia
De estar em seus braços, e isso não me basta
Quero entregar-me nessa sinergia

Nossos corpos em plena e louca euforia
Ao som dos nossos gemidos como em cantata
Não nos importa que provoque até zombaria.

Diná Fernandes

sábado, 18 de julho de 2009

Experiência Virtual

Chegou tão de mansinho solicito e delicado
Ganhou espaço, conquistou o meu coração
E essa breve conquista, agora é passado
Nem amor, nem paixão, apenas confusão...

De um coração indeciso ou desolado
Imaturo talvez... ou mesmo um vilão!
Inconseqüente, teve o escárnio fracassado
E em porto empedrouçado, afogou sua ilusão

Para pisar o meu coração amaciado
Que já não se permite cultuar ilusão
Pise com a leveza do ar, ele que ser amado!

Nele só há espaço para comunhão
Recusa-se outra vez a ser fragmentado
Trague por tanto, a sua sórdida intenção

Diná Fernandes

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Influências da Natureza


São quatro ventos
a soprar meu s
insistentes
pensamentos,
que voam como
pássaro, com
alegria da liberdade.

São quatro luas
e quatro formatos,
se prateada,
ou dourada
não importa,
na sua mudez,
assiste à tudo
e nada revela,
é companheira dos
amantes,e inspiração
dos poetas.

São quatro estações
que interferem
na minha pele,
e nisso...
fico morena , branca,
ou desbotada, que
me chamam
de amarela...
todavia, não alteram
a minha composição.

São quatro elementos
parte da natureza,
cada um com
a sua importância,
sem eles seria
impossível
a sobrevivência
de todos os seres na terra.

Diná Fernandes

domingo, 5 de julho de 2009

Soneto do Vento



Oh vento! Não conheço a tua imagem
Apenas entendo a tua linguagem
No verão passa e o som é silente
No inverno, furioso e veemente

No outono, eriça as folhas dormentes
Na primavera chega menos imprudente
Em qualquer tempo, serás tangente
E as birutas agradecem alegremente

Desce sereno até, os mais baixos vales
Ao topo das montanhas sobes grandioso
Impiedosas tempestades causas nos mares

E assim, abstrato, misterioso e impetuoso
Os dias seriam sem teus cantares
Opressos,sisudos sem teu ar precioso

Diná Fernandes

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Silhueta


A luz da lua que a sua janela clareava
Deixava à mostra a silhueta imponente
A passear em seu quarto, e eu imaginava
A sua nudez... Devaneava como um demente!

Eu ali solitário... lascivo, e você não se entregava
Apenas provocava, o meu desejo era premente
Murmurava, sonhava, e em te eu passeava
Queria-te amante, insana, com teu corpo quente

Perdia-me na tua sombra que me deslumbrava
Ensandecia-me por querer-te tão veemente
E assim, as minhas noites você obsedava

E num ímpeto, em meu quarto se fez presente!
No teu oceano de mistérios, eu adentrava
Sorrindo disse-me... Amo-te! Foi eloqüente!

Diná Fernandes

terça-feira, 30 de junho de 2009

SONHO COM A FELICIDADE DAS CRIANÇAS

Sonho com a felicidade das crianças
Que um dia elas possam viver
em seus lares, sem que sejam
molestadas por sua própria família;

Sonho que um dia a coragem
bata à porta de muitas mães
que perdida de amor e medo
tornam-se permissivas de
todo tipo de ofensa a seus filhos
inclusive o estupro.
Não que ela... a mãe...
permita diretamente,
Mas; quando acontece
e vem à tona, chega a negar
o fato, por medo e por amor!

E a criança na sua fragilidade
exposta a toda sorte de infâmias
presenciando a desarmonia e,
O desrespeito entre o casal
tende muito rapidamente
a despertar para o caminho
sem volta.

Sonho que as crianças
Um dia, possam ir à escola
com o objetivo de aprender
como se fazia antigamente,
e não se deparar com aliciadores
e drogados desrespeitando
a sua pueril idade, oferecendo-lhe
maldita balas envenenadas
pela química... alucinando-as também!

Como se reportaria um Parlamentar
Cego, surdo e mudo, totalmente alheio
como se nada grave esteja acontecendo
com as nossas crianças... especialmente?
Se tivessem seus filhos molestados
Continuaria ignorando?
Acho que não doutor,
Pois quando se trata do pronome “meu”... dói
Ai a configuração muda...

Sonho com a felicidade
neste mundo indiferente
de tão cruel realidade
onde tudo é só aparência
angústia e fome de soluções
é o cardápio brasileiro
é caótico e cansativo
essa gama de descasos.

Diná Fernandes