Seguidores

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Revendo a vida






Revendo minha história, senti fome de mudanças
A coragem presenteou-me com um novo despertar
Rasguei velhas normas, poli os aranhões das andanças
Mas a sede de amor entrelaçada na alma, estar


Esta infinita teia  que em mim se enlaça
Como raízes que estão sempre a germinar
No território chamado coração que só o amor alcança
Onde não há dor nem solidão que o faça recuar


Entre os desacertos renasço e o desejo avança
Do nada me refaço mesmo que venha a chorar
O vazio de alegria se preencherá, a alma se lança...


Projeta-me para as mais longínquas estradas a buscar
Aquilo que a vida ousou roubar-me ... A esperança!
Deixando a porta entreaberta para o recomeçar




Diná Fernandes

5 comentários:

TC.Tecno disse...

que lindo, parabens pelo blog!

vou te seguir, me siga também!

Abraço!


=]

Dina a Ciganinha disse...

Obrigada pela visita.
abçs!

Victor Gil disse...

Querida amiga.
Eu às vezes também tenho vontade de romper as normas. Qualquer dia parto a corda.
Lindo soneto.
Beijos Dina.
Victor Gil

Lice Soares disse...

Dina, parabéns!
Belo poema.
Bjs.

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Belo soneto!
Gosto dos seus versos.
É necessário rever a vida e soltar as amarras.
Beijos em seu coração!